Luís Miguel Cintra



Nome completo: Luís Miguel Valle Cintra

Nasceu: 1949-04-29

Local de nascimento: Madrid
Nacionalidade: Português
Sítio internet: http://www.teatro-cornucopia.pt/htmls/conteudos/EEuEZkluuuTLFwLByT.shtml
Dados adicionais:

Actor, Encenador
1966-73 - Frequentou o Curso de Filologia Românica da Faculdade de Letras de Lisboa.
1967-68-69 - Participação no Teatro Universitário - Grupo de Teatro da Faculdade Letras; Auto dos Físicos de Gil Vicente, O Avejão de Raul Brandão e As Troianas de Eurípedes. Encenação para o mesmo grupo de Anfitrião de António José da Silva (prémio especial Casa da Imprensa).
1970 - Fundação do Grupo de Teatro do Ateneu Cooperativo de Lisboa: encenação de 3 Entremeses de Cervantes.
1970-72 - Frequência do Acting/Tecnhical Course da Bristol Old Vic Theater School (como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian)
1973-74 - Professor da Escola de Teatro do Conservatório Nacional (interpretação).
1973-2005 - Fundador do Teatro da Cornucópia a cuja direcção pertence desde 1973
Em 1997 interpretou no Théâtre de la Commune-Pandora, Aubervilliers-Paris, Sertorius de Corneille (encenação de Brigitte Jaques).
Em 2005 encenou no Teatro de la Abadía, em Madrid, Comedia sin Título de Federico García Lorca.
No Teatro da Cornucópia encenou a Ópera O Urso de William Walton para a RTP em 1990.
Para a RTP encenou e representou com Zita Duarte a peça Olá e Adeusinho de Athol Fugard.
Apresentou com Maria de Medeiros no Festival de Avignon de 1988 e no Festival de Outono de Paris de 1989 o espectáculo La Mort du Prince et Autres Fragments de Fernando Pessoa. (encen. e interp.).
Em Itália apresentou-se com o Teatro da Cornucópia (Comédia de Rubena) em Udine na realização L'École des Maitres, que lhe foi dedicada, em 1991.
Crítico de teatro em O Tempo e o Modo e Crítica em 1970-72.
Direcção da Colecção de Teatro Seara Nova - Estampa e da Colecção de Teatro Ulmeiro em 1973-74.
Foi professor da Escola de Cinema do Conservatório Nacional (Direcção de Actores) durante os anos de 1983-84 e 84-85.
No Teatro Nacional de S. Carlos encenou as óperas L'Enfant et les Sortiléges de Ravel e Dido e Eneias de Purcell (1987), As Bodas de Figaro de Mozart (1988) e L'Isola Disabitata de Haydn (1997), Medea de Cherubini (2005) e dirigiu e interpretou o melodrama Manfred de Schumann/Byron (2002) e a oratória cénica Jeanne d’Arc au Bûcher de Honegger/Claudel (2003).
Em 1996 encenou na Culturgest The Strangler de Martinu.
Em 2000 encenou em co-produção Teatro da Cornucópia/Culturporto/ Rivoli Teatro Municipal/ Teatro Nacional de S. Carlos/ Orquestra Nacional do Porto a ópera The English Cat de H. W. Henze/E. Bond.
Em 2004 encenou no Teatro Aberto Le Vin Herbé de Frank Martin.

Participações [#72]

  • 201709111039_cinept_licenciatura_em_cinema_260_260
  • PUB