A Comédia de Deus (1995)

La Comédie de Dieu

Produção Rodagem: Fev/Mar 1995

M/12

165 min

Comédia   Drama  

Realização:  ·  João César Monteiro

Argumento:  ·  João César Monteiro

Os dias do senhor João de Deus decorrem sem grandes sobressaltos, divididos entre o seu trabalho no "Paraíso de Gelado" onde, a contento de todos, desempenha as funções de encarregado e de inventor da especialidade da casa, o famoso gelado "Paraíso", que faz as delícias da clientela, e a sua casa, onde, paralelamente aos trabalhos domésticos, ocupa as suas horas de ócio, quase sempre solitárias, a coleccionar pentelhos femininos, num precioso album a que chama "Livro dos pensamentos".
As raparigas de origem modesta constituem o pessoal do estabelecimento, são objecto dos cuidados permanentes do responsável, zeloso pelo cumprimento de regras básicas de higiene que não façam perigar a saúde pública.
Satisfeita com o curso do negócio, Judite, a patroa, sonha fundi-lo com uma empresa francesa e conta com os préstimos de João de Deus para impressionar favoravelmente um famoso geladeiro francês, vindo expressamente de Paris para provar a especialidade da casa. Os resultados são nulos e saldar-se-ão por um rotundo fracasso.
Entretanto, o comportamento de João de Deus - até aí sem falhas - começa a apresentar sintomas de desvios algo inquietantes. Que o digam a senhora arquitecta, Rosarinho e Virgínia.
Um belo dia, João de Deus encontra a Joaninha de olhos verdes, a filha do corpulento talhante da esquina e, depois de a ter atraído a sua casa, presenteia-a, não só com um banho de leite de vaca, como com tantas e tais guloseimas, que a menina se sente acometida de indisposição intestinal, o que, felizmente, graças a João de Deus, é passageiro.
O carniceiro progenitor, pretextando bestiais ofensas ao hímen de Joaninha, prepara-se para lavar a honra ultrajada num banho de sangue.
Hospitalizado de urgência, em estado considerado desesperado, João de Deus consegue, todavia escapar às garras de morte. Também Judite, desta vez, não se compadece: despedimento com justa causa.
De regresso a casa, aguarda-o um quadro devastador: uma montanha de destroços, tudo feito em cacos, o "Livro dos pensamentos" reduzido a cinzas.
[João César Monteiro]

Videos [#1]:
  • [Trailer]
Equipa

Entidades [#4]:
  • Tobis Portuguesa · Laboratório de Imagem
  • Studio Carno Audium · Registo de Som
  • Eurimages · Patrocínio
  • RTP · Patrocínio
Países [#4]:
  • Portugal (PT)
  • França (FR)
  • Itália (IT)
  • Dinamarca (DK)
Estreias [#3]:
  • 1995-09-09 | Festival de Veneza | Apresentação
  • 1995-10-31 | Cine-Casino (Figueira da Foz) | Ante-Estreia
  • 1996-01-19 | Condes, King, Monumental | Estreia
Imagens [#8]:
  • ...

  • ...

  • ...

  • ...

  • ...

  • ...

  • ...

Dados Técnicos:
Cor | Dolby SRD | 35 mm | 1.66:1 |

Outras informações:
Festivais e Prémios:
# 1995 - Festival de Veneza, Selecção Oficial, Competição - Grande Prémio Especial do Júri, Prémio Cinemavvenire ao Filme, Prémio SNGCI-Sindicato dos Jornalistas de Cinema Italianos à Realização, Prémio Pasinetti ao Filme, Prémio Filmcritica à Realização, Prémio Mionetto à Realização.
# 1995 - Dunquerque - Grande Prémio do Júri, Prémio do Júri Jovem Cinema, Prémio da Interpretação Masculina (Max Monteiro/João César Monteiro).
# 1996 - Itália - Prémio Fiuggi - Eoropa alle Fonti.
# 1996 - Cinemateca Real da Bélgica - Prémio l'Âge d'Or
# 1997 - Montevideu, Uruguai - Prémio FIPRESCI

Editado em DVD por Madragoa Filmes, em 2003 (Colecção: Integral João César Monteiro)

  • 201709111039_cinept_mestrado_em_cinema_260_260
  • PUB