Joaquim Bravo, Évora 1935, Etc. Etc. Felicidades (1999)

58 min

Documentário  

Realização:  ·  Jorge Silva Melo

Joaquim Bravo (Évora, 1935 - Lisboa, 1990) expôs pela primeira vez em 1964, inaugurando a que viria a ser uma das mais decisivas galerias portuguesas, a 111 no Campo Grande. A sua influência doutrinária e a sua enorme capacidade de entusiasmo iriam marcar no início dos anos sessenta o grupo de pintores de Évora (Lapa, Palolo) e, nos anos 80, artistas como Xana e Cabrita Reis. Na sua morte, uma comovente homenagem foi-lhe prestada por um grupo enorme e variado de artistas que ia de João Vieira a Miranda Justo. A sua obra encontra-se dispersa num grande número de colecções particulares e institucionais.

Mais informações: Website externo

Equipa

Dados Técnicos:
Cor | BetaCam SP |

  • 201709111039_cinept_mestrado_em_cinema_260_260
  • PUB