Palmira Bastos



Nome completo: Maria da Conceição Martinez de Sousa Bastos

Nasceu: 1875-05-30 · Morreu: 1967-05-10

Local de nascimento: Aldeia Gavinha, Alenquer
Local de óbito: Lisboa
Nacionalidade: Portuguesa
Dados adicionais:

Actriz
Palmira Bastos foi a terceira filha de Pedro Echevarría Martínez, de Valladolid, e de sua mulher María Dolores García, de Santiago de Compostela, um casal de atores espanhóis de uma companhia ambulante que estavam temporariamente em Portugal[1] . Casou em 1894 com o dramaturgo e empresário teatral António de Sousa Bastos (Lisboa, 1844 — Lisboa, 1911), o qual tem uma rua com o seu nome em Lisboa e do qual teve a sua única filha, Amélia Bastos. Casou segunda vez com António de Almeida da Cruz.
A sua estreia como atriz deu-se em 18 de julho de 1890 com a peça O Reino das Mulheres de E. Blum no Teatro da Rua dos Condes. Esta estreia, foi o início de uma longa carreira de 75 anos de dedicação ao teatro, que terminou com a sua participação na peça O Ciclone em 15 de Dezembro de 1966.
Distinguiu-se com as suas representações em diversos estilos (drama, comédia, opereta e revista). Participou ainda no filme mudo O Destino em 1922.
[Fonte: Wikipedia]

Participações [#1]

  • 201709111039_cinept_mestrado_em_cinema_260_260
  • PUB