13 Ways of Looking at a Blackbird (2021)

Produção 2020

N/C

32 min

Curta-metragem   Experimental  

Realização:  ·  Ana Vaz (II)

Argumento:  ·  Vera Amaral  ·  Mário Neto  ·  Paula Nascimento  ·  Ana Vaz (II)

Resultado de uma colaboração ao longo de um ano entre Ana Vaz e dois estudantes de liceu, Vera Amaral e Mário Neto, este é um filme caleidoscópico sobre o que é olhar, ser olhado e sobre o potencial latente do cinema.

A cineasta e um grupo de alunos processam pensamentos sobre o acto de ver, compor imagens, alcançar as coisas. 13 Ways of Looking at a Blackbird de Wallace Stevens é o mote poético desencadeador desta experiência colectiva. Os olhos da imaginação, o silêncio, pousar o olhar num infinito de perguntas traduzem um mapeamento imagético, tal câmara stylo (câmara caneta) que escreve o pensamento das imagens, das sensações numa fantástica mise en abîme - “o filme é uma música que se pode ver”.
[Fonte: (Carlota Gonçalves) IndieLisboa]

[The result of a year-long collaboration between Ana Vaz and two high school students, Vera Amaral and Mário Neto, this is a kaleidoscopic film about what it is to look, to be looked at and about the latent potential of cinema.

The filmmaker and a group of students process thoughts about the act of seeing, of composing images and achieving things. 13 Ways of Looking at a Blackbird by Wallace Stevens is the poetic motif triggering this collective experience. The eyes of imagination, the silence, resting one’s look on an infinity of questions translate a pictorial mapping, just as a stylo-camera writing the thoughts of images and feelings in a fantastic mise en abîme - “a film is music that you can see”. (Carlota Gonçalves)]

Videos [#1]:
  • Ana Vaz na Berlinale [Promo]
Equipa

Dados Técnicos:
P/B e Cor |

Outras informações:
Festivais e Prémios:
# 2021 - IndieLisboa, Competição Nacional
# 2021 - Berlinale - Berlin International Film Festival

  • 201709111039_cinept_licenciatura_em_cinema_260_260
  • PUB